6º ao 8º ano

Estudo do Meio 6º ao 8º ano - 2017

Além de tornar a aprendizagem mais significativa, o estudo do meio solidifica os conhecimentos obtidos e abre a possibilidade para novas descobertas uma vez que o aluno tem a possibilidade de observar e interagir com o meio ambiente.

Não só o trabalho com as habilidades cognitivas, colaborando na construção de conceitos, e os procedimentos de pesquisa, também são contempladas as habilidades relacionais, na medida em que a convivência em grupo exige cooperação, respeito, saber ouvir e saber colocar-se no lugar do outro.

Grandes Descobertas - das bandeiras à astronomia (Brotas e Barra Bonita)

 

No 6º ano, realizamos uma viagem de estudo do meio, com o objetivo de percorrer os mais importantes caminhos feitos pelos Bandeirantes no Brasil em suas expedições desbravadoras, bem como entender a história do rio Tietê. Com estes temas integrados, além de contribuir para o entendimento ampliado do tema, vamos observar o céu e desvendar alguns de seus mistérios na cidade de Brotas. Este estudo complementa o trabalho sobre o Planeta, tema do Projeto Saber e Fazer, oferecendo mais subsídios para a compreensão dos conteúdos trabalhados em sala de aula.

Objetivos:

  • Conhecer quem foram os Bandeirantes e caracterizar historicamente seu papel na história do Brasil;
  • Compreender as interações entre as Bandeiras e os fatores geográficos ao longo do curso do rio Tietê;
  • Observar um dos principais roteiros do Ciclo Bandeira Paulista e algumas das cidades fundadas durante este período;
  • Discutir o papel das Bandeiras no processo de colonização e expansão territorial do país;
  • Refletir sobre o impacto da ação humana no meio ambiente e as suas transformações através das diferentes formas de utilização do espaço e dos recursos naturais;
  • Desenvolver habilidades de orientação espacial através de mapas, bússola e do estudo da astronomia.

Data: 20 a 21 de abril

Cananéia, Ilha do Cardoso e Petar

 


No 7º ano,
o estudo do meio para Cananéia é visto como uma oportunidade de os alunos conhecerem os elementos básicos dos ecossistemas litorâneos como a Mata Atlântica, a Praia Arenosa, o Costão Rochoso, a Restinga e o Mangue, bem como os componentes bióticos e abióticos de cada ambiente.

É uma possibilidade de identificarem os pontos de interação entre os ecossistemas e sua importância para a manutenção do ambiente marinho.

Entrar nas cavernas no Parque Estadual Turístico do Alto do Ribeira – Petar é uma experiência ímpar, onde os alunos aprendem as características da Mata Atlântica, conhecendo seu funcionamento, observando a composição do solo na trilha e no interior da mata, montando uma cadeia alimentar, compreendendo a formação das cavernas e estabelecendo relações entre a mata e o ambiente interno das mesmas.

Este estudo do meio auxilia os alunos com informações que complementarão o trabalho do projeto Saber e Fazer: Que Brasil é este?

Objetivos:

  • Proporcionar o estudo dos elementos básicos dos ecossistemas litorâneos: mata atlântica, praia arenosa, costão rochoso e mangue.
  • Estudar os componentes bióticos e abióticos de cada ambiente, cadeias alimentares e relações interespecíficas.
  • Identificar os pontos de interação entre os diferentes ecossistemas e sua importância para a manutenção do ambiente marinho.
  • Estudar a formação do relevo, bem como as consequências das modificações nos ecossistemas, para o ambiente marinho.
  • Conhecer o ecossistema e a origem geológica das cavernas
  • Identificar as principais formações espeológicas.

Data: 25 a 29 de setembro

Cidades Históricas Mineiras

 

No 8º ano, o estudo do meio é visto como uma oportunidade de resgatar a História, através das belezas e singularidades das Cidades Históricas em Minas Gerais, bem como resgatar as origens e riquezas da cultura local.

É uma oportunidade de se realizar a leitura e o entendimento de um longo período da História colonial do Brasil e, principalmente, do ciclo do ouro nos séculos XVII e XVIII.

Nas cidades históricas, os alunos podem apreciar as construções coloniais, a arquitetura, a arte e a literatura. Aprendem mais sobre a mineração, a mão de obra escrava, as riquezas naturais, a geografia e o modo de vida dos seus moradores. Aprendem, sobretudo, a valorizar nosso Patrimônio Histórico. Neste estudo, os alunos também têm a possibilidade de refletir sobre a questão do convívio da sociedade do século XXI com a riqueza patrimonial e cultural do século XVI e XVII e sobre que história cada museu visitado nos conta.

Os alunos são orientados a olhar essas cidades como “documentos vivos” de nossa História, de maneira que se torna fundamental assumirem o papel de observadores deste documento e ao mesmo tempo se empenharem em questioná-lo, para que possam reconstruir esse importante período da História de nosso país.

Objetivos:

  • Conhecer o ciclo do ouro no Brasil Colonial como movimento econômico e social.
  • Identificar aspectos da arquitetura colonial.
  • Reconhecer fatores sociais que resultaram nos movimentos pela independência do Brasil.
  • Conhecer as principais características da arte barroca.
  • Compreender a ocupação da região de Minas Gerais através da interação de fatores geográficos, biológicos e históricos.
  • Identificar aspectos da geografia e da biologia da região e o processo de ocupação pelo homem.
  • Discutir os principais problemas ambientais da região e sua influência sobre o patrimônio histórico arquitetônico.
  • Reconhecer a importância dos museus na recuperação e preservação da memória do país.

Data: 5 a 9 de junho